2013 - Auditoria chilena para avaliação de sites de entidades públicas, por Consejo para la Transparencia

No relatório "Quinta fiscalización a la Administración Central del Estado en Transparencia Activa", do Consejo para la Transparencia (Conselho para a Transparência) foram avaliados sites de 327 entidades públicas no Chile, baseados em usabilidade e atendendo 15 critérios que foram considerados como informações obrigatórias. A pesquisa também focou nos produtores de divulgação da informação e as entidades que são responsáveis por esse processo. Os resultados foram compilados e avaliados por instituições do setor de saúde e de educação. Os dados foram coletados entre 19 de novembro de 2013 a 5 de dezembro de 2013.
Tema: 
Número de agências auditadas: 
327
Nível de cumprimento: 
96,26% (pontuação média de todas as instituições auditadas) 94,1% (pontuação média de instituições educacionais auditadas) 94.7% (pontuação média de instituições de saúde auditadas) 72.12% (média de usabilidade)
País: 
Chile
Região: 
América Latina e Caribe
Tipo de Auditoria: 
Ativa
Autores: 
Consejo para la transparencia
Ano em que a lei de transparência pública entrou em vigor: 
2009
Ano da auditoria: 
2013
Tema de política: 
Metodologia: 

A avaliação foi baseada em 15 critérios, incluindo 252 itens de informação que foram identificados como obrigatórios. Para cada critério, a auditoria avaliou:

- Existência dos links no site para todas as informações obrigatórias e sua operabilidade

- Atualização da informação dentro dos 10 primeiros dias do mês

- Para critérios que envolviam tipos específicos de informação, só uma opção foi escolhida para ser revisada.

- Controle para consistência com outras fontes (Controladora Geral)

Os resultados da avaliação de informações obrigatórias foram relatadas para todas as entidades, e compiladas por órgãos do setor da saúde e da educação.

A usabilidade também foi avaliada através de 24 aspectos relacionados a facilidade de achar e de usar a informação.

A pesquisa também focou nos produtores de divulgação da informação e as entidades responsáveis por esse processo.

As melhores práticas foram avaliadas por 38 itens e relatadas através de um sistema de ranking. 

Condições experimentais: 

A avaliação do processo foi anunciada com antecedência para as instituições. 

Tipo de autor: 
Organização pública
Auditoria criada pela FGV: 
No
Poder estatal ou tipo de entidade auditada: